SEPAL 2015


    Novamente, Rosângela e eu, tivemos a oportunidade de participar do Congresso da SEPAL (Servindo pastores e líderes), em Águas de Lindóia, SP. Esse foi o 42º e teve como tema “Uma igreja sobrevivente”. A proposta do tema soou para mim, como um tipo de “Reforma” que se deseja para a igreja evangélica no Brasil, especialmente diante de tantos desvios e até mesmo absurdos que acontecem no meio evangélico de hoje. Entretanto, o enfoque dado não foi o acusatório, mas buscou-se direcionar as reflexões para o que a igreja deve ser à luz da Bíblia. Os preletores das plenárias foram os batistas Ariovaldo Ramos e Ed René Kivitz; e os presbiterianos Ronaldo Lidório e Ricardo Agreste. Também houve vários seminários ministrados por homens e mulheres de outras denominações. Creio que houve a participação de mais ou menos 2.000 pessoas, gente de todo o Brasil.
     Nos últimos anos, nossa ida à SEPAL não tem tido o objetivo de aprender coisas novas ou de trazer novidades para a igreja, embora a gente sempre aprenda alguma coisa. O que tem acontecido, é que percebemos que a Igreja Presbiteriana de Florianópolis está num bom caminho, embora possa melhorar em alguns aspectos, que podem aprimorar sua missão como igreja. Não é preciso imitar ninguém, mas também é importante estarmos abertos a mudanças, quando se fizerem necessárias e saudáveis.
     Para nós, esse encontro é também um momento de refrigério, de descanso, pois tanto eu como a Rosângela, saímos de nossas rotinas, o que é sempre muito bom. Por outro lado, a SEPAL nos proporciona a graça de encontrarmos velhos e novos amigos. Por sinal, pudemos desfrutar de longas e agradáveis conversas com o casal Matheus e Renata (Ele é pastor da igreja de Biguaçu).
     Somos muito gratos à nossa igreja, que nos proporciona esse privilégio anual. E quando somos abençoados, a igreja também o é.
 Rev. Joel

Nenhum comentário:

Postar um comentário