Individualismo X Comunhão fraterna



“Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!” Salmos 133:1

Nesta semana, queremos lidar com os empecilhos da comunhão fraterna. Uma antiga lenda judaica nos mostra, de forma muito clara e simples, que a comunhão fraterna depende de uma decisão do nosso coração: querer amar e servir aos outros em vez de só pensar em si mesmo.
     Um rabino conversava com o Senhor sobre o céu e o inferno. “Vou lhe mostrar o inferno”, disse o Senhor, e conduziu o rabino a uma sala no meio da qual havia uma grande mesa redonda, com pessoas famintas e desesperadas sentadas à sua volta. No meio da mesa, havia uma tigela de sopa grande o suficiente para todos. O aroma da sopa era delicioso, deixando o rabino com água na boca. As pessoas ao redor da mesa seguravam colheres com cabos muito compridos. Cada uma delas podia alcançar a tigela e pegar uma colherada da sopa. Todavia, como o cabo era mais comprido que o braço, não conseguia colocar a colher na própria boca. O rabino viu que o sofrimento delas era terrível.
     “Agora vou lhe mostrar o céu”, disse o Senhor, e eles entraram em outra sala, exatamente igual à primeira. Havia a mesma grande mesa redonda e a mesma tigela de sopa. As pessoas, como antes, estavam equipadas com as mesmas colheres de cabo comprido – mas aqui estavam todas nutridas e rechonchudas, rindo e conversando. A princípio, o rabino não entendeu. “ É simples, mas exige certa habilidade”, explicou o Senhor. “Veja, elas aprenderam a alimentar umas às outras. ”
     Nosso individualismo e egoísmo aprisionam-nos no inferno, já aqui neste mundo, enquanto uma alegria celestial permeia o coração daqueles que amam de verdade.

Dieter Kirsch
Extraído do devocionário Orando em Família (Vol. 16).

Nenhum comentário:

Postar um comentário