Estou com raiva!


Podem os cristãos ficar com raiva?
Eugene Peterson, numa nota da bíblia A Mensagem afirma: “A raiva é uma emoção legítima. Não é mais pecaminosa que o riso. Precisamos pensar na legitimidade da raiva, pois temos a tendência de pensar nela de maneira negativa, condenando-a. Paulo, por exemplo, nos diz que podemos sentir raiva, mas que devemos tomar cuidado para não permitir que a raiva nos faça pecar (Ef.4:26). Outra evidência da legitimidade da raiva é que ela é atribuída a Deus. A ‘ira de Deus’ é uma expressão bíblica muito comum”.
Entretanto, corremos um risco muito grande, se deixamos a raiva crescer e nos controlar. Peterson continua: “...o excesso de raiva acaba sendo algo pecaminoso. É pecaminoso não porque a emoção em si seja errada, mas porque o que queremos é errado, ou porque estamos com raiva da pessoa errada, ou porque estamos agindo de maneira errada e talvez por muito tempo. Diferentemente da ira divina, que arde como fogo que purifica, a ira humana gera uma fumaça tóxica que sufoca”.
Em Ef.4:26 Paulo afirma: “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo”.
Entendemos então, que a raiva ou ira é possível, desde que passageira. Dar lugar para que a raiva fique, é segundo Paulo, também dar lugar ao diabo, ou à sua influência maligna e destruidora. E lembre-se, a primeira pessoa a ser destruída pela raiva é você mesmo (a).
Então, se você está com raiva de alguém, livre-se dela (da raiva) o quanto antes, defenestre-a, ou seja, jogue-a pela janela, mas cuide para que não caia sobre outra pessoa. Viva em paz, a vida é tão curta.
Rev. Joel

Nenhum comentário:

Postar um comentário