O cristão e a pátria


No próximo dia 7 de setembro o Brasil completará 194 anos de sua independência. No próximo mês teremos eleições para prefeito e vereadores. A propósito do Dia da Pátria e das eleições municipais é oportuno que reflitamos sobre os deveres e os direitos do cristão enquanto cidadão. A Bíblia é muito clara quando menciona as atitudes que o cristão deve cultivar diante de sua Pátria. São elas:
Oração
Karl Barth, teólogo reformado, dizia que “entrelaçar as mãos é o começo de uma revolução contra a desordem do mundo”. Não basta criticar, é preciso orar em favor do país e suas autoridades (1Tm 2.1-3), ainda que muitas vezes nossas orações sejam vazadas com o clamor do salmista: “... até quando, Senhor?”. A oração em favor da Nação repousa sobre o fundamento da soberania de Deus. Servimos Àquele perante o qual os reis (autoridades) haverão de comparecer e prestar contas (Ap 20.11-12).
Cidadania
A cidadania possui duas faces: obediência e protesto. Vejamos:
Obediência – Romanos 13.1-7 é o texto clássico para ensinar a obediência às autoridades. Elas são instituídas por Deus, devem punir o malfeitor e proteger o bom cidadão. No cumprimento de seus deveres podem contar com a contribuição financeira dos cidadãos por meio dos tributos. Entretanto, quando as autoridades deixam de punir o malfeitor, ou quando elas próprias assumem o papel de malfeitor, sua legitimidade deve ser questionada pelos meios legais. Chegamos, assim, à outra face da cidadania.
Protesto – Um belo exemplo bíblico de protesto cidadão pode ser encontrado em Atos 16.35-40. Paulo, nessa passagem, invoca seus direitos como cidadão romano e exige tratamento condizente com sua cidadania romana. Embora nós cristãos tenhamos uma pátria celestial (Fp 3.20), somos incentivados ao exercício de nossa cidadania terrena. Na verdade, na história dos diferentes países, direitos só foram conquistados graças à indignação manifestada em muitos protestos.
Oração e cidadania são as vias de transformação de nossa nação.

Texto adaptado - Rev. Valdinei Aparecido Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário