IMPONDERÁVEL


Eventos imponderáveis da vida são inevitáveis. Muitas vezes não conseguimos medi-los, compreendê-los e impedi-los. Imponderável é aquilo que não pode ser ponderado e é imprevisível.
Em um dos seus poemas o poeta Cruz e Souza denominou a tristeza que sentia de imponderável ao afirmar: “Ah, tristeza imponderável, abismo, mistério aflito, torturante, formidável... Ah, tristeza do infinito!”.
E mesmo sabendo quem é Deus, através da Sua Palavra, Seus caminhos e vontades podem ser difíceis de serem compreendidos. No entanto, nossa fé não deve se basear naquilo que não compreendemos ou não obtemos resposta, mas no consolo e certezas que a Palavra e a vida com Deus nos dão.
Passar por momentos de tristeza e angustia, são comuns a nossa humanidade e momentos assim, conforme afirmou Cruz e Souza, podem se tornar um “abismo, mistério aflito, torturante” de algo que não se conhece ou não consegue explicar.
Na caminhada da vida somos desafiados a viver através de uma esperança viva, que é Cristo. Em Hebreus 6 lemos que as promessas que Deus faz são como uma âncora para a alma, e portanto, tal como Abraão que recebeu promessas da parte de Deus e esperou nelas.
O incerto, o improvável e o imponderável sempre caminharão juntos de nossa existência, mas não podemos permitir que o medo das incertezas, das dúvidas e até mesmo o medo de sentir medo tornem-se senhores de nossas vidas.
O Evangelho nos afirma que o amor que procede de Deus afasta de nós todo e qualquer receio em nossas vidas – “No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor”. (1ª João 4.18).
O amor que procede de Deus lança para fora de nós todo e qualquer sentimento de receio, de incerteza, de angustia, de dúvida que possam nos aturdir. Assim, é bem melhor nos lançarmos em direção ao Deus Eterno que manifestou em Cristo seu caráter, sua santidade, seu amor, sua vida.


Rev. Matheus Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário