PONTO DE VISTA

Conta-se a história, que não se sabe se é verdadeira ou não, de que certo homem, dono de um pequeno sítio, amigo do escritor e poeta Olavo Bilac, abordou-o na rua dizendo: Sr. Bilac estou precisando vender o meu sítio, que o Senhor bem conhece. Pode redigir o anúncio para o jornal?
Olavo Bilac apanhou papel e caneta, e escreveu: “Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer; com extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeiro. A casa banhada pelo sol nascente oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda”.
Passado algum tempo o poeta encontra o amigo e pergunta se havia vendido o sítio, quando respondeu: Nem penso mais nisso! Quando li o anúncio e percebi a maravilha que tinha, desisti de vender aquele paraíso!
Esta história ilustra bem a realidade da vida para algumas pessoas. Insatisfeitas com o que tem ou com o que são, correm atrás do vento à procura de coisas novas a todo instante.
Com facilidade, por vezes vão se desfazendo de valores pessoais, bens morais e familiares incalculáveis. Deixam de dar valor às pequenas coisas da vida para dar mais importância àquelas coisas, que tendo menor valor, se desvanecem com o tempo e acabam.
 No evangelho de Mateus 6.28b-29 Jesus ensina: “Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles”. Jesus nos deixa claro que nem toda a riqueza e suntuosidade da vida de um rei podem ser comparadas a beleza singular de um lírio do campo.
Dependendo do lado em que se está e do modo como se vê determinada situação, uma realidade pode ser boa ou ruim, por isso é importante pensar que antes mesmo que você se desfaça de um bem tão precioso, e pode ser até mesmo um sítio como aquele do amigo de Bilac, ou de qualquer outra coisa, reveja seu ponto de vista.
Procure, insista, reflita sobre a forma como você vê as coisas que lhe cercam e certamente muito mais valor você encontrará. Nos dias de hoje casamentos têm se desfeito, relacionamentos têm sido rompidos porque falta um novo ponto de vista, uma nova maneira de se ver as realidades que cercam a vida.
O verdadeiro valor das coisas que se tem é dado por você mesmo. O que normalmente ocorre é que uma pessoa dá mais valor àquilo que tem quando os outros dizem que o que você possui tem valor.
Um exemplo sobre pontos de vista está na vida do pintor holandês Vicent Van Gogh (1853-1890). A história deste homem foi marcada por inúmeros fracassos.
Os relatos eram de que viveu como um homem frustrado e infeliz. Viveu internado por muito tempo em um hospital pois mal conseguia adaptar-se a vida regular de sua época, morrendo precocemente aos 37 anos. Somente depois da sua morte é que passou para a história como o gênio incompreendido. Tempos atrás um dos seus quadros foi vendido por US$ 66 milhões.
Então surge a pergunta: onde está realmente o valor do que se faz ou possui? Pense bem, reflita e seja grato ao Eterno pelos valores que o cercam, sejam materiais ou imateriais. Se você não consegue fazer isso peça a Ele que lhe ajude a mudar seu ponto de vista e certamente seus olhos se abrirão para ver toda a beleza que o cerca.
Rev. Matheus Santiago

Nenhum comentário:

Postar um comentário