A adoração na igreja viva (Parte II)



As funções da adoração
A adoração pública cumpre muitas funções. Mencionamos quatro:
A função doxológica é entendida como o processo pelo qual todos dos passos e ritos de um culto público afirmam, expressa ou simbolicamente, conteúdos da fé que se professa. Assim, é importante que as letras dos cânticos sejam biblicamente corretas e expressivas; as meditações sejam expositivas, tanto quanto possível; e a própria liturgia tenha conteúdo e forma condizente com o evangelho.
A função catártica é aquele espaço em que se propicia a confissão, a súplica, os votos e decisões profundas, sejam coletivas ou individuais.
O culto também tem uma função pedagógica. Tudo o que acontece, desde que as atividades são iniciadas, têm o poder de ensinar. Aprendemos até com os ritos e rituais, sejam eles explicitados em seus significados ou não. Seja pela letra de um cântico, seja pela bênção impetrada, seja pelo sermão proferido, em tudo estamos sendo ensinados, para o bem ou para o mal.
Finalmente, a função devocional da adoração pública. É o momento em que, tendo Deus falado ao meu coração, faz-se como por milagre, a pergunta: "o que você vai fazer a respeito?" Ou então: "o que você quer que eu te faça?". Ou, ainda, sendo mais literal: "há esperança para esses ossos secos, filho do homem?". Sim, devoção significa oferta. Devotar é ofertar. E há um momento em que sou perguntado sobre o que eu vou oferecer. Que decisão irei tomar. E a resposta que me encanta é algo assim: "levantar-me-ei e irei ter com o meu pai; e lhe direi...".

O resultado da adoração
A adoração bíblica produz um mesmo resultado em qualquer adorador: transformação. Lembremo-nos que estaremos na presença de Deus, e contamos com Jesus entre nós. Estaremos na dimensão do milagre, do impensável, das respostas, do poder de Deus. Estaremos nos expondo às irradiações do seu amor. Estaremos, com alegria e gratidão, nos expondo às influências do seu Espírito Santo. E ali, tudo é "infinitamente mais do que pedimos ou pensamos".
Rubem Amorese

Nenhum comentário:

Postar um comentário